Portal de Uruçuí - A Notícia do Tamanho da Verdade!

MUDANÇAS: Hospital São Marcos só vai atender alta complexidade

Em caso de necessidade de tratamento de alta complexidade terão que passar por filas do Sistema de Regulação e suas internações no Hospital São Marcos.

17/06/2017 10:44 em Social Saúde
Hospital São Marcos só vai atender alta complexidade
MUDANÇAS: Hospital São Marcos só vai atender alta complexidade

O Hospital São Marcos deixou de ter as portas abertas para pacientes com câncer do Sistema Único de Saúde (SUS). Esses pacientes serão atendidos pelos hospitais municipais de Teresina e em caso de necessidade de tratamento de alta complexidade terão que passar por filas do Sistema de Regulação e suas internações no Hospital São Marcos.

O diretor de Práticas Médicas do Hospital São Marcos, Marcelo Martins, informou que o paciente com câncer, estando em seu domicílio e apresentando qualquer alteração no quadro clínico, como febre, mal-estar, dores no corpo, falta de ar, vômitos, diarreia e sangramento, deve procurar o atendimento de urgência nos hospitais da rede pública mais próximos de sua residência.

Segundo Marcelo Martins, se houver necessidade de transferência para o Hospital São Marcos para a realização de quimioterapia de urgência ou radioterapia, o hospital da rede pública a solicitará mediante regulação e de acordo com os critérios preestabelecidos.

“Após alta do hospital da rede pública, caso tenha sido internado, o paciente deve agendar consulta com o médico oncologista ou radioterapeuta no Ambulatório do Hospital São Marcos”, afirmou Marcelo Martins.

O médico Marcelo Martins falou que o Hospital São Marcos é preparado e equipado para atender a alta complexidade em oncologia.

“O Hospital São Marcos está preparado para fazer a alta complexidade, que é fazer cirurgias de câncer, fazer quimioterapia para câncer, radioterapia. Se o Hospital São Marcos usa sua capacidade instalada para casos de menor complexidade, para o paciente que tem pneumonia, para o paciente que está com diabete descompensada, ele vai ocupar a vaga de alguém que realmente é caso de alta complexidade, precisa ser operado, precisa fazer quimioterapia e radioterapia”, falou o diretor de Práticas Médicas do Hospital São Marcos.

Cirurgias

O diretor de Práticas Médicas do Hospital São Marcos, Marcelo Martins, disse que o Hospital São Marcos continua fazendo cirurgias em pacientes com câncer, fazendo quimioterapia e radiologia.

“Nós apenas fizemos um ajuste para facilitar a entrada do paciente que precisa desses serviços de alta complexidade, que nenhum outro hospital do Estado possui”, adiantou o médico Marcelo Martins.

O Hospital São Marcos atende 1 mil pacientes por mês.

Pacientes entram com ações na Justiça para fazer cirurgias

Os pacientes que têm que fazer cirurgias de câncer estão protestando e entrando com ações na Justiça para garantia da realização de procedimentos cirúrgicos.

Lilian Aguiar afirmou que sua prima tem câncer de mama e precisa fazer cirurgia de urgência, mas foi encaminhada para atendimento no Hospital Municipal do Monte Castelo, na zona Sul de Teresina. A médica que a atendeu afirma que a paciente deve ser transferida com urgência para o Hospital São Marcos porque está na fase de metástase.

“Minha prima corre o risco de morte e a fila da Regulação do SUS para o atendimento pelo Hospital São Marcos não demora menos de 40 dias. Para evitar que minha prima morra sem o atendimento médico adequado, impetramos ação na Justiça com pedido de liminar para se conseguir a cirurgia para que tenha chances de sobrevivência”, falou Lilian Aguiar.

O diretor do Hospital São Marcos, Joaquim Almeida, disse que o tratamento de média complexidade contra o câncer deve ser oferecido na rede pública de saúde de média complexidade e o tratamento de alta complexidade deve ser dado por hospitais de alta complexidade, como é o caso do Hospital São Marcos.

“Os procedimentos de média complexidade serão feitos na rede pública e os de alta complexidade serão feitos no Hospital São Marcos, como sempre foi feito. É importante salientar que o Hospital São Marcos vem, durante anos e anos, subsidiando esses custos, custos que são elevadíssimos, causando prejuízos terríveis para o hospital. Poderia, aí sim, no futuro, se essas medidas não fossem adotadas, causar um problema muito pior porque teríamos um problema sério de ordem financeira”, declarou Joaquim Almeida. (E.R.)

Hospitais passam a atender intercorrências clínicas oncológicas

A Fundação Municipal de Saúde informa que o Hospital São Marcos tomou a decisão de não atender mais, através do SUS, as intercorrências clínicas oncológicas. Diante da decisão, a rede hospitalar do município de Teresina assumiu este tipo de atendimento para não deixar a população sem assistência, de acordo com o presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Sílvio Mendes.

As intercorrências oncológicas podem ser assistidas por um clínico geral. No entanto, as que necessitam de cirurgia serão encaminhadas para o São Marcos, que é o hospital de referência para alta complexidade oncológica, informa a gerência do SUS em Teresina.

São consideradas intercorrências clínicas oncológicas todas as reações provenientes dos tratamentos de câncer, como febres, pneumonias e dores abdominais.

“Estes sintomas ocorrem, muitas vezes, por conta das quimioterapias e radioterapias que provocam,entre outras coisas, a queda da imunidade”, explica Vitoria Urbano, gestora do SUS no Piauí. (E.R.).

Fonte: Meionorte

Comentários